01/12/13

Zircónio

O que são implantes dentário de zircónio?


O zircónio consiste numa cerâmica muito resistente e de cor branca. É geralmente utilizado em laboratórios de prótese para a produção de coroas dentárias.
Recentemente utiliza-se este material no fabrico de implante dentário. Destaca-se pelas óptimas propriedades mecânicas e biológicas. Trata-se de uma matéria prima  sem toxicidade e o risco de alergia é quase nulo.


O material mais utilizad é o titânio. Durante cerca de quatro décadas, o titânio, tem sido alvo de intensas investigações e de desenvolvimento com comprovado sucesso.

Recentemente surgiram os de cerâmica, nomeadamente zircónio.
 Já se colocam em certos países da América e Brasil. Contudo os primeiros, foram introduzidos à cerca de cinco anos. Ainda são precisos estudos para comprovar a sua durabilidade e aplicação. Os que existem não são conclusivos por se tratar de uma inovação.
A principal vantagem é a estética devido à sua cor branca. São uma alternativa aos tradicionais de titânio em casos em que a estética é um factor essencial.

Os implantes de zircónio estão livres de metal e quando existe recessão gengival a estética é maior.
Ao contrário dos de titânio que são compostos por duas peças, implante e pilar, os de zircónio são uma peça única. Por se tratarem de uma única peça a estabilidade da prótese pode aumentar.





22/11/13

Preencher a falta de um dente

falta de um dente
Implante dentário 
A implantologia moderna procura reabilitar todo o tipo de falta de dentes.

Preencher a falta de apenas um dente é o  procedimento cirurgico mais comum e o mais procurado. É também o mais simples de executar desde que haja osso disponível.

Indicações
  • Pessoas de todas as idades excepto crianças ou jovens em crescimento. Estes não devem submeter-se à cirurgia porque a sua estrutura óssea ainda não está completamente formada.
  • Pessoas que sofrem de cárie dentária, sujeitas a extracção.
  • Indivíduos vítimas de acidentes tais como pancada, queda, traumatismos vários, acidentes de viação.
  • Razões estéticas difíceis de corrigir com a técnica de ortodontia (correcção dentária).
  • Defeitos genéticos tais como agenesia dentária ( falta de peças dentárias porque nunca nasceram).
Procedimentos genéricos para um protocolo em dois tempos
  • Consulta de observação clínica para correto diagnóstico.
  • Examinam-se radiografias panorâmicas e planeia-se o caso.
  • Executa-se a introdução do implante dentário no osso na altura da cirurgia.
  • Para que o  processo de  integração óssea fique estável espera-se cerca de dois meses.
  • Após este tempo coloca-se o pilar de cicatrização.
  • Elabora-se a coroa de cerâmica em laboratório, fixa-se, e o processo está concluído.
Procedimentos genéricos para um protocolo em um tempo
  • Após consulta de observação e analise de exames radiológicos coloca-se o implante dentário e cobre-se imediatamente  pelo pilar de cicatrização. Não fica submerso e é mais vulnerável a forças externas.
  • A cicatrização óssea e da mucosa ocorrem em simultâneo.
Carga imediata
  • O protocolo cirúrgico é idêntico aos anteriores.
  • O paciente pode sair da clínica com uma prótese fixa. Esta prótese raramente é definitiva. Geralmente tem que se substituir por outra muito semelhante.
  • A disponibilidade óssea deve ser excelente para permitir este protocolo.
  • O paciente preenche de imediato a falta de dentes com uma solução fixa.





24/10/13

Agenesia dentária


implante dentario
Agenesia dentária

Em que consiste a agenésia e quais os tratamentos relacionados?


A agenesia em medicina dentária é a falta de um  ou vários dentes que não erupcionaram. Pode estar relacionado com factores genéticos ou hereditários.

 A estrutura embrionária não se desenvolve e este não existe ou fica incluso e semi incluso no osso maxilar. A falta de desenvolvimento pode ser devido a pouco espaço no maxilar ou devido às características do tecido ósseo  serem muito duras .

Se a causa for hereditária a sua prevenção é impossível mas se for de ordem nutricional ou devido a processos infecciosos pode ser evitada e tratada atempadamente.

Se a agenesia se caracterizar pela ausência de um ou alguns dentes é denominada de hipodontia. Se a ausência de dentes for total denomina-se de anodontia.
Geralmente os que mais faltam são os dentes do siso mas cerca de 5 a 7 % da população do mundo sofre de este problema independentemente da sua origem.

As consequências podem ser estéticas, constrangimento ao sorrir e ao falar ou podem ser funcionais, dificuldade em mastigar.

O diagnóstico da agenesia dentária é feito com base em exames radiológicos. O seu tratamento depende do caso em particular mas pode estar sujeito à correcção em ortodontia ou à cirurgia de implantes dentários.

Nas crianças em crescimento as técnicas de alinhamento dentário são muito úteis e adequadas. Se o espaço a preencher for pequeno este problema pode ser facilmente corrigido usando aparelho dentário de correcção.  Se o espaço a preencher for muito extenso a solução é o uso de prótese removível para evitar que os outros dentes se movam ou entortem.
Após o período de crescimento , o tratamento da agenesia dentária consiste principalmente na introdução de implantes dentários. É a solução mais eficaz em medicina dentária; os espaços são preenchidos com soluções fixas e a pessoa recupera a estética e a funcionalidade.

29/09/13

Solução fixa implanto-suportada com extensão

Prótese híbrida

Em que consiste?


Trata-se de uma solução intermédia entre a prótese fixa completa e a sobredentadura implanto-suportada. Este dispositivo reúne as vantagens do conforto da prótese fixa e as vantagens estéticas da prótese removível. Trata-se de uma prótese completa acrílica que reproduz os dentes, a gengiva e é aparafusada a pilares implantares.
Não entra em contacto directo com as gengivas e por isso denomina-se de com extensão. No seu interior está uma armação metálica e chama-se vulgarmente de prótese híbrida; é composta por acrílico e metal. Essa armação metálica é aparafusada aos pilares implantares e sobre ela são montados os dentes artificiais. A armação metálica ou barra contribui para a sua resistência e faz parte da estrutura principal da prótese.
Este tipo de concepção de prótese é suportada, geralmente, por 4, 5 ou 6 implantes dentários.

Vantagens:

  • A prótese é fixa e a pessoa não a pode retirar, não oscila.
  • A grande vantagem é porque não tem palato ou céu da boca e por isso não interfere com a fala.
  • O médico dentista pode remover ou desmontar com facilidade a prótese no seu consultório para a limpar.
  • É possível recriar quando necessário gengiva artificial para melhorar a estética.

Solução no desdentado total

Sobredentadura
Sobredentadura

Sobredentaduras - Prótese fixa em dois implantes dentários


Na reabilitação de um edêntulo total apresentam-se várias soluções e hipóteses.
Este artigo visa explicar e referir o conceito de sobredentadura. Já todos ouvimos falar de dentaduras fixas.

Em que consistem ?


Trata-se de uma prótese removível acrílica tradicional que utiliza para aumentar a sua estabilidade um sistema de retenção implanto-suportada. As sobredentaduras utilizam diferentes tipos de retentores que são aparafusados nos cilindros de titânio osteo integrados no osso mandibular.

Tipos de conexão:

  • Macho/ fêmea ou botão de pressão. A parte macho é aparafusada ao cilindro de titânio e a parte fêmea é adaptada à prótese com o auxilio de resina acrílica.
  • Barra de união; a barra é um elemento produzido em laboratório de prótese dentária e aparafusada aos cilindros de titânio através de pilares intermédios.

Em que casos se aconselha este tipo de prótese?

As sobre dentaduras são aconselhadas a pessoas com reabsorção severa ( falta de osso na mandíbula). Pessoas que usam próteses removíveis com dificuldade de sustentação podem optar por esta solução.


Vantagens das sobre dentaduras fixas:
  • Excelente estabilidade da prótese quando se fala ou mastiga. A prótese não oscila.
  • Maior conforto e segurança em relação a uma prótese dentária removível acrílica tradicional.
  • A estética é favorecida pela maior sustentação dos lábios e do sorriso gengival. A face fica mais preenchida e o rosto favorecido e com aparência mais jovem.

20/09/13

O que é a placa bacteriana?

Higienistas orais

O sucesso a longo prazo do implante dentário está directamente relacionado com a boa higiene oral. O controlo da placa bacteriana e higiene são muito importantes.
A placa bacteriana é uma substância formada da saliva onde vivem bactérias que estão na boca de cada pessoa.

A função dos higienistas orais é precisamente a educação e motivação de um candidato a implantes com placa bacteriana. A função do higienista é explicar e ensinar as medidas de prevenção.
Após a cirurgia os pacientes são aconselhados a realizar bochechos com duas a três vezes por dia com clorehexidina. As propriedades de esta substância associadas às propriedades antibacterianas possibilitam um correcto controlo da placa. O higienista oral aconselha também os escovilhões adequados de forma a tornar eficaz o controlo de placa inter-proximal.

A acumulação de placa bacteriana favorece o desenvolvimento de alterações inflamatórias nos tecidos moles. Se não for tratada poderá levar à destruição dos tecidos e provocar uma perimplantite.

Manutenção

implante dentario
Manutenção de implantes
Visitar o dentista é determinante para o sucesso a longo prazo da implantologia. Tanto o médico  como o paciente devem manter a preocupação de vigiar a saúde dos tecidos perimplantares (osso e mucosa) evitando assim complicações futuras ou fracassos secundários.
Higiene bucal 
É muito importante e indispensável a colaboração do paciente. O médico deverá ensinar a cada paciente a utilização correcta dos instrumentos de escovagem. O objectivo é que a eliminação diária da placa bacteriana seja eficaz.
Pós-cirúrgica
Após a cirurgia e até retirar os pontos o paciente deve fazer bochechos. A gengiva , pilares implantares e mucosa devem ser escovadas com uma escova macia e algumas semanas depois retomar a escovação normal.

A  longo prazo
A prótese e a área de junção devem ser mantidas limpas com o auxilio de escova manual ou eléctrica. As pastas dentífricas devem ser pouco abrasivas e sem fluoretos ácidos. O fio dental deve ser trançado, reforçado, fino ou espesso e usado diariamente.
O controlo regulare no dentista implica exame clínico, exame radiográfico, controlo da eficácia da higiene do paciente, eliminação dos depósitos de placa e tártaro.

Exame clínico - consiste em apreciar o aspecto da mucosa e controlar o índice de placa e a quantidade de tártaro. Neste exame é medida a profundidade das bolsas em volta dos implantes com sondas de plástico. É feito o controlo da oclusão da prótese.

31/05/13

Tipos de parafusos de titânio

implante titanium
Implantes dentários
O desenvolvimento dos implantes orais aptos a substituir um ou mais dentes perdidos, foi sujeito a várias fases de investigação. A permanente investigação e desenvolvimento ao longo dos anos tem como objectivo encontrar um sucesso absoluto e melhor ancoragem para reabilitar maxilares superiores e inferiores.

Estão disponíveis no mercado actual vários tipos ; subperiósseos, transósseos e endo-ósseos. Os últimos são os mais usados. Apresentam-se no mercado sob uma grande variedade de formas, tamanhos e tipos de superfícies.

Ao longo dos anos foram feitas uma série de alterações aos desenhos e à superfície dos implantes orais procurando sempre encontrar a melhor solução para prolongar o tratamento.

Microestrutura da superfície

Vários desenhos  têm sido introduzidos, dos quais destacam-se os cilíndricos, cónicos, lisos, ocos, perfurados e não perfurados, com espiras e sem, impactados e aparafusados. Os de tipo cilíndrico parecem ser os mais procurados pela classe médica de dentistas. A introdução de espiras contribuiu para a sua estabilidade. Favorecem o processo de osteointegração. Os cilíndricos roscados permitem uma introdução mais precisa no local planeado e preparado.

O tratamento da superfície depende a sua qualidade. As propriedades químicas, físicas, mecânicas e  topográficas da sua superfície contribuem para determinar a actividade de células no processo de osteointegração e fixação. Este tratamento de superfície varia entre soluções isotónica de cloreto de sódio e o recente lançamento de um fabricante em que a superfície  é rugosa e são embebidos em cristais de fosfato de cálcio.

Estes produtos e modificações têm sempre como objectivo primário o de tornar as superfícies mais reactivas, de forma a que consigam suportar melhor as forças da mastigação.

Osteointegração

É o processo em que se forma osso em redor do implante.

A ósseo integração pode ser comparada com o processo de cicatrização de uma fractura em que os fragmentos fracturados se tornam unidos por osso. Ao contrário do que ocorre numa factura, no processo de ósseo integração a união não se faz entre osso e osso, mas sim entre osso e a superfície do implante.
Para que ocorra a ósseo integração desejada é fundamental a existência de um material bio inerte ou bio activo e com uma superfície adequada para a deposição óssea. Este material é o titânio.

implantes
Osseointegração de implantes

O titânio tanto na sua forma comercialmente pura  como vendido em ligas específicas é um material bio inerte e o material de eleição, usado tanto na cirurgia ortopédica como na medicina dentária.
Outros materiais como o oxido de alumínio desapareceram do mercado no final da década de oitenta porque não conseguiram provar a mesma resistência e biocompatibilidade.

Depende dos seguintes factores:

1. Biocompatibilidade do material.
2. O desenho do parafuso de titânio.
3. As características da superfície.
4. A quantidade de osso disponível em altura e largura. A qualidade óssea.
5. A técnica cirúrgica utilizada. Esta deve ser o mais atraumática possível.
6. As forças de carga aplicadas depois da sua colocação.

17/03/13

A boca

A saliva


implantes de dentes
Implantes de dentes
Os medicamentos que reduzem a secreção da saliva são os anti-histamínicos, descongestionantes, analgésicos e diuréticos. Ir bebendo água ao longo do dia pode ajudar a remediar a falta de saliva. Mastigue pastilhas elásticas sem açúcar principalmente depois das refeições. Procure marcas que contenham xilitol, adoçante natural que pode ajudar
a reduzir os níveis de bactérias orais ajudando ainda a combater a doença das gengivas. A segregação natural de saliva ajuda a limpar a boca. A quantidade deficitária de saliva contribui para o aparecimento de placa. A placa é uma mistura de bactérias que reforçam o risco de cáries.
Quando se refere saúde oral de uma forma geral associamos aos dentes. No entanto há várias estruturas importantes na boca: a língua, os dentes e o periodonto que é constituído pela gengiva, osso e ligamentos periodontais. Outras estruturas que não são visíveis são as glândulas salivares.

Glândulas salivares


implantes de dentes
Implantes dentários
São quatro as glândulas salivares principais. Existem as sublinguais e as parótidas. As primeiras estão situadas por baixo da língua. Possuem dois canais de drenagem que terminam em dois orifícios situados atrás dos dois incisivos centrais inferiores. Estes orifícios são os responsáveis pela saliva na parte anterior da maxila inferior. As parótidas estão situadas na parte posterior dos maxilares e estão associada à parotidite ou "papeira". No interior das bochechas existe uma pequena saliência que por vezes mordemos sem querer. Em cada bochecha está uma saliência que é a saída do do canal de drenagem da parótida.
As glândulas salivares segregam a saliva muito importante para a saúde oral como já acima referimos.

Língua


A língua é de extrema importância para a fonética e paladar. Na língua encontramos as chamadas papilas gustativas que permitem distinguir sabores e saborear alimentos. Mesmo que se usem implantes dentários ou próteses dentárias que cobrem o céu da boca pelo seu palato, estas próteses fixas ou removíveis não interferem com o sabor dos alimentos porque as papilas do sabor estão na língua.  A cor da língua pode alterar-se em estados febris e ficar vermelha em algumas doenças.  Ainda hoje a observação da língua permite ao médico fazer um diagnostico.

05/01/13

Enxerto cirurgico

osso
Implantologia
Para colocar um implante dentário é fundamental avaliar a quantidade e qualidade de osso disponível. O osso permite o processo de osteointegração essencial para fixar o parafuso de titânio.

A osseointegração caracteriza-se pela passagem das células do osso do maxilar para a superfície de titânio. Com este processo o implante fica fortemente ancorado e apto a servir de suporte para o novo dente. Este dente deverá conseguir suportar a tensão da força mastigatória.

Se o candidato à cirurgia de implantes dentários não tiver osso suficiente existem procedimentos cirúrgicos para aumentar altura ou espessura óssea ao maxilar. Estas técnicas denominam-se por enxerto de osso e elevação de seio. Permitem recuperar o osso atrofiado acrescentando-lhe o volume necessário; é a chamada regeneração óssea.

A regeneração óssea guiada permite corrigir defeitos e preencher falta de osso e gengiva através de técnicas precisas e biomateriais adequados.

Os nossos médicos dentistas utilizam as técnicas da cirurgia de regeneração óssea guiada com precisão e sabedoria. Estas técnicas são tão úteis e com os mesmos resultados práticos que a técnica de colocação de implantes. Ambas, fundamentais e imprescindíveis para que o resultado final fique esteticamente perfeito.

01/01/13

Engenharia genética

osso
Proteína morfogenética óssea
As proteínas morfogenéticas ósseas ( BMP-2 e BMP-7 ) pertencem ao grupo dos Factores de Crescimento Transformador. Apresentam características terapêuticas para a produção de tecido ósseo.

 Quando se perdem dentes existe reabsorção óssea, ou seja, o organismo não regenera o osso em determinada área. Devido à perda de dentes por vezes não existe osso suficiente para uma reabilitação com implantes.

A alternativa para recriar o osso perdido seria a do enxerto de osso autógeno ou alógeno. Com a evolução da medicina surgiu a engenharia genética e a proteína morfogenética BMP. Essa proteína é aplicada no local onde falta osso. A regeneração do osso ou crescimento acontece num espaço de seis meses.

 Esta técnica inovadora é uma esponja de colagénio com a proteína BMP que vai ajudar no crescimento do osso da mandíbula ou maxilar. Este crescimento caracteriza-se pela qualidade e quantidade de osso superior à original.

Falta de dentes

implantes dentários
Falta de dentes / dores estômago

A falta de dentes interfere com o correto funcionamento do organismo da pessoa. A probabilidade de um individuo com falta de vários dentes apresentar problemas de estômago é grande. A razão é porque os dentes têm a função específica de triturar os alimentos. A falta de dentes pode ocasionar gastrites e ulceras.



É fundamental comer devagar e mastigar bem os alimentos para evitar a inflamação do estômago  A implantologia é a melhor solução para substituir dentes e evitar os já referidos problemas de saúde.

Álcool

implante dentário e alcool
Implantes dentários / alcoolismo
O abuso e excesso de álcool podem provocar disfunções hepáticas que aumentam o risco de hemorragia em uma cirurgia de implantação. O excesso de álcool no organismo diminui o sistema imunológico e interfere com o efeito de medicamentos. Um individuo dependente de álcool não é o candidato ideal a implantes dentários.

Tabagismo

cigarro e implante
Tabagismo / Implantes dentários
Estudos indicam que em Portugal o consumo de tabaco é mais elevado entre as pessoas de 34 a 44 anos de idade. A nicotina é a substância que provoca a dependência física e psicológica do indivíduo em relação ao fumo do cigarro. O tabaco pode não só dificultar o processo de cicatrização pós- cirúrgico assim como aumentar a reabsorção óssea. No entanto apesar de ser prejudicial para a saúde oral e geral do indivíduo, são colocados nos nossos centros de implantologia inúmeros implantes em fumadores com sucesso. O fumador pode optar por reduzir o consumo de tabaco antes e após cirurgia. Este assunto deve ser discutido com o profissional de saúde de forma a encontrarem a solução compatível com a cirurgia de implantologia.