Zigomáticos


Implantologia Zigomática - Implantes dentários



implantes zigomáticos


A utilização de implantes zigomáticos surgiu à cerca de 20 anos por Branemark. Esta técnica tem vindo a ser aprimorada e modificada ao longo dos anos. Destina-se a pessoas com atrofia maxilar severa. Pessoas sem osso no maxilar superior e cuja reabilitação é impossível. O local onde se fixam os implantes é o osso zigomático. Podem ser colocados de um a quatro  zigomáticos no maxilar para servir de suporte a próteses dentárias.

A maioria dos casos de implantologia é solucionada com enxertos de osso ou elevação de seio. Como alternativa para o enxerto foi desenvolvida a técnica de  zigomáticos. São feitos de titânio e mais longos que os convencionais , podendo medir até 65 milímetros. Este comprimento é adequado para que  seja colocado no osso zigomático ou osso da bochecha.

Os zigomáticos não são exactamente uma inovação, no entanto cada vez mais pessoas recorrem a esta técnica. O procedimento zigomático tem vindo a generalizar-se e é cada vez mais falado devido à recuperação imediata da função em pessoas cujo osso disponível obrigaria a enxertos ou elevação do seio maxilar com algum tempo de espera devido à integração do biomaterial de enxerto.

Com a inserção de implantes zigomáticos podem fixar-se próteses totais com total segurança e conforto.

Para muitos dentistas, os zigomáticos, são um marco da Implantologia actual e moderna.


Procedimento com implantes zigomáticos:


É geralmente feito em ambiente hospitalar com anestesia geral e em um dia. O paciente é internado uma hora antes e sai uma hora depois da cirurgia. A sua utilização restringe-se a casos específicos. Tanto para os  zigomáticos, como para os implantes comuns é necessário ter uma boca saudável e boa higiene oral. A recuperação do procedimento é rápida e sem complicações.