História e evolução da Implantologia


Dentistas noutros tempos
Antigamente o dentista colocava o joelho para puxar o dente



Como surgiu a necessidade de substituir dentes?


A necessidade de substituir os dentes surgiu em épocas recuadas, no inicio dos tempos.

As guerras, disputas, acidentes, traumatismo vários, levavam o ser humano a imaginar qual seria a melhor solução para preencher a falta de peças dentárias. O objectivo principal dessas pesquisas em tempos remotos, era descobrir qual o material, ainda que estranho, que fosse eficaz na substituição da ausência dentária.

Como eram as primeiras próteses de dentes?


No inicio dos tempos não havia acrílicos nem dentes artificiais. Os povos não tinham conhecimentos científicos nem tecnologia, por isso as primeiras próteses dentárias eram feitas de madeira rudemente esculpidas e com dentes humanos. As pessoas pobres mas com dentes sãos e bonitos, a troco de dinheiro, vendiam os seus dentes, para que fossem posteriormente adaptados a próteses de madeira e fossem dadas a outras pessoas que com capacidade económica as compravam.

De que forma evoluíram os dispositivos para substituir dentes?


O percurso da sua evolução foi lento e através da tentativa erro e observação.
Aplicaram-se diversos materiais no osso para substituir a raiz mas todos eles mostraram estar condenados ao insucesso e fracasso devido às infecções que provocavam.

Desde o início dos tempos o problema principal era o de encontrar o material que não fosse rejeitado pelo o organismo e que tivesse uma boa ósseo integração. Esse material deveria também ser resistente à mastigação. Os implantes de dentes foram inicialmente feitos com cerâmica e metal precioso e a  sua forma inicial era um tripé.

Experimentaram-se substitutos de raízes feitos de cerâmica pura por se tratar de um metal poroso, mais tarde metal revestido de cerâmica e até metal puro.
Todas as tentativas iniciais fracassaram

A contribuição da especialidade Ortopedia


A implantologia oral e a sua evolução está directamente ligada a outras especialidades da medicina nomeadamente a ortopedia e o transplante de órgãos.

Com a necessidade de substituir partes ósseas de doentes, os materiais foram experimentados e aperfeiçoados. Alguns conhecimentos da implantologia actual devem-se à acção de um médico, que para além dos seus conhecimentos de ortopedia os conseguiu relacionar e transferir para a implantologia oral, contribuindo assim para o desenvolvimento de uma marca de implantes hoje mundialmente reconhecida.

O transplante de órgãos, tais como os rins e o coração auxiliou a evolução das técnicas e a especialidade da cirurgia oral; adoptou-se para a boca os mesmos princípios e os mesmos cuidados da esterilização e operatórios, já praticados nos transplantes de órgãos e de ossos no corpo humano.

Conclusão sobre a evolução da medicina dentária


Várias especialidades médicas, ao longo dos tempos, contribuíram para o desenvolvimento da medicina oral actual. Isto significa que as especialidades médicas não são estanques nem individualizadas. Entre elas fazem-se trocas de conhecimentos médicos. 

Estão relacionadas também especialidades não médicas tais como a engenharia. Através da concepção de materiais e instrumentos médicos trocam-se conhecimentos: relacionam-se frequentemente a tecnologia informática através da imagiologia e radiografia, assim como a medicina e suas diversas especialidades e a engenharia.

Hoje em dia existe a possibilidade de substituir dentes naturais com relativa facilidade através das próteses dentárias removíveis e soluções implanto suportadas.